A Media Luz

A mídia é sempre um assunto controverso e às vezes é difícil falar dela definindo bem as opiniões. No entanto, se tem uma coisa que me irrita profundamente é quando a imprensa resolve falar de censura.

A falta de liberdade para expressar opinião é certamente condenável. Todos devem poder dizer o que pensam (claro, desde que não ferindo outras leis – você não vai falar que “índio é preguiçoso”, não é?), falar sobre seus pontos de vista sobre política, economia, sociedade ou o que seja. Como bem diria uma música revolucionária alemã da virada do XVIII para o XIX, “os pensamentos são livres“.

Ao rotular toda e qualquer tentativa por parte do governo de colocar novas leis quanto a conteúdos publicados de “censura”, os meios de comunicação então partem do pressuposto de que a liberdade para transmitir o que quer que se queira está comprometida. Ora, sim. Mas os canais de notícias, o próprio jornalismo, não deveria estar sempre limitado? A luta pela livre imprensa travada em meados do século XIX na Europa era justificada pelos jornais: eles defendem a população, são seus olhos, o elo que conecta o povo ao Estado –  a mídia é o vigilante. Dessa forma, estaria sempre comprometida a noticiar aquilo que é de interesse geral, aquilo que afeta a vida de muitos e, ponto crucial, a mídia tem o poder de articular os próprios movimentos político-sociais.

Se olharmos as situações dos grandes jornais do mundo hoje, dos grandes canais de notícias, veremos que eles não estão nas mãos de pessoas que de formação e atuação escolheram pactuar com este papel da imprensa – as mãos que os controlam atualmente são mãos de empresários. A notícia é negócio.

Contudo, grandes empresários não vêm menos claramente que jornalistas o poder da informação. Sabe-se muito bem da sua influência, hoje muito maior do que há 150 anos atrás, muito mais rápida e de alcance incomparável. Pergunta capciosa: você acha que a mídia noticia o que é interessante para quem? Não é apenas a questão de excluir alguns acontecimentos porque eles parecem carecer de importância ou porque não se tem fontes suficientes (e esses argumentos também são totalmente contestáveis), não é “apenas” omitir – é noticiar aquilo que vai de encontro aos desejos e anseios daqueles que representam uma parcela ínfima da população – e quase sempre contra os interesses da maioria.

Como se não bastasse, ainda há a cereja do bolo: a pretensa imparcialidade. A notícia é apresentada como se vista do lado de fora, com fatos, citações, entrevistas oficiais. Ninguém nunca me falou porque aquele evento específico é importante, porque foi conferido à ele o estatuto de notícia, porque foram escolhidos aqueles fatos como os mais relevantes para explicar o ocorrido e porque somente aquelas pessoas citadas são as autorizadas para falar sobre o assunto. Eu posso até crer na veracidade de cada um desses elementos isoladamente, mas a história que se conta incluindo um ou outro fato, duas ou três pessoas a mais, pode ser bem diferente.

Voltando ao início do texto, só pelo que já expus a mídia se encontraria em sérios problemas se o assunto é censura. Mas não esqueçamos que ela tampouco contesta o governo quando as ações tomadas pelo mesmo são de seu agrado. Ela só levanta a bandeira da “liberdade de imprensa” quando seus lucros estão comprometidos – lucros esses que absolutamente não serão compartilhados com a população, portanto não há nada nessa atitude que caracterize uma luta contra a censura e a favor do povo. Nem de longe.

 

*Ao som de Carlos Gardel – A Media Luz

Anúncios

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

8 Respostas para “A Media Luz

  1. oniguiri

    Esse é o retrato da imprenssa italiana. Imagina então quando o empresário que detém o poder de boa parte da imprensa chamada “pública” nacional é ninguém menos que o controverso senhor primeiro ministro Berlusca??? Mais imparcialidade impossível. Vc precisava de ver o estardalhaço que fizeram quando o Lula negou a extradição do Battisti. Até falei com o Thomas: parece até que eles estão fazendo essa tempestade toda pruma coisa que definitivamente não é a mais importante acontecendo agora só pra encobrir alguma coisa de mais sujo. E como sempre, a coisa mais suja desse país é sempre o primeiro ministro, o “dono” da imprensa nacional. Um nojo, me dá asco assistir o jornal aqui…

    • Olivia

      Nossa, realmente aí deve ser o ápice mesmo. É o empresário com poder político, né, com caminho livre pra tomar as medidas políticas que ele bem entender para beneficiar seu negócio. Mas e a população italiana? Está totalmente alheia à isso? Ninguém saca? Esse caso Battisti é complicado, mas pelo que eu sei o cara é condenado à morte mas parece que essas mortes ocorreram quando ele fazia parte de um grupo de resistência ao governo da época, é isso? Pra falar a verdade nunca parei pra ler sobre o assunto, acho q foi o Luca quem me disse isso há tipo séculos atrás. E quanto tempo o Berlusconi fica? Aí tem reeleiçao eterna?

  2. Aqui na França existem jornais de grande circulaçao que sao de esquerda, mas a televisao é ridicula. Eles nao tem nenhum posicionamento critico ao Sarkozy, e pra piorar eles resolveram chamar atençao pra feladaputa da lider da extrema-direita (que disse que as preces musulmanas na guerra sao comparàveis à invasao nazista durante a 2a guerra), e sério, tem uns dois meses que eles falam dela quase todo dia. Dai esses dias saiu uma pesquisa dizendo que 1/5 dos franceses concordam com as posiçoes do partido dela. Nossa, cejura, nem é pq a midia nao para de falar dela, né?
    Dà medo pensar que 1/5 dos franceses sao ASSUMIDAMENTE racistas. Pq tem os que sao e têm vergonha de falar, né… quer dizer, tinham, pq como a midia anda divulgando isso, as pessoas começam a ver como “normal” o fato de simpatizar com idéias da ultra-direita. O partido està em terceiro nas pesquisas sobre as eleiçoes presidenciais.
    E a esquerda francesa é ridicula. O partido socialista é a coisa mais monga ever, com vàrios aspirantes à presidência e cada um querendo chamar mais atençao pra si do que o outro. Nao aprenderam nada com a eleiçao do Sarkozy, aparentemente.

    • Olivia

      Eu fico lendo essas noticias suas sobre a França e da Lilian sobre a Italia e fico de certa forma chocada. Eu não sei se isso sempre existiu e a gente simplesmente não percebia, ou se é coisa de agora mesmo… Mas é que a Europa de maneira geral sempre pareceu muito aberta. Quero dizer, são muitos países num pequeno espaço e tem turistas o tempo todo do mundo todo, logo a primeira impressão que eu tive quando cheguei na Alemanha era de que as diferenças eram bem aceitas, de que não era como aqui, que uma pessoa loira chama a atenção loucamente. Mas enfim, acho q o sentimento de superioridade sempre esteve lá, mas agora que a globalização permite a entrada de muito mais gente, a coisa evoluiu pra xenofobia mesmo. E isso em tantos lugares, q sinceramente tenho medo do que possa acontecer nos próximos anos…

  3. oniguiri

    Olha, na verdade não sei se ele pode continuar sendo reeleito ad infinitum, mas com certeza ele pode sair e voltar depois, que foi o que aconteceu antes. As pessoas são estúpidas, mas acho que posso estar sendo parcial pq aqui onde eu vivo o partido mais votado é a extrema direita rascista/fascista. Aqui as pessoas odeiam imigrantes e falam na tv que a liberdade de culto (construir mesquitas pela italia) ameaça o mantenimento das tradições italianas. Então, quando o Berlusca é processado por favorecimento da prostituição infantil (pq acolheu na casa dele uma puta romena de 17 anos e interviu diretamente pra que ela tivesse o visto de permanência ligando pra polícia federal e contando uma mentira deslavada q ela era sobrinha de um xeique egípcio, alowww???) o público diz q a imprensa entá fazendo tempestade em copo d’água. Yeah, babe, escuto isso aqui onde eu moro. E as pessoas aqui no norte continuarão a votar no Berlusca quantas vezes forem necessárias, porque ele tá se aliando ao partido nazista pra apoir a federalização, que aqui eles interpretam como o primeiro passo para a separação total, pois o que eles querem mesmo é formar um país, a Padania, e botar fogo em todos o imigrantes malditos e de quebra implodir a Itália de Roma pra baixo.
    Hum, vc acha que meu crescente ódio por esse país é muito evidente??

    • Olivia

      Como eu respondi ali pra Martha, acho que boa parte disso (esse sentimento separatista e xenófobo) pode ser que não passe exatamente pela imprensa, mas que já seja algo que existe ali há tempos e só foi realmente despertado agora por causa da UE e da facilidade em se movimentar dentro desse espaço, atraindo imigrantes. E a imprensa tem força, mas aparentemente na Itália ela não supera o poder conservador e o amor ao Berlusconi, hein?! Porque pro pessoal aí falar que eles estão fazendo tempestado em copo d’água… a situação tá tensa. Enfim, ainda acho que é essa mania deles de se dizerem imparciais que fode tudo, porque nesse caso aí especificamente, se eles assumissem que estavam denunciando os podres de um presidente que está quebrando protocolos legais do país, se a função social fosse abraçada, as pessoas escutariam as notícias de maneira diferente: alguns, claro, continuariam a descartar o q a mídia fala, outros considerariam aquilo de outra forma, quem sabe assumindo uma visão crítica sobre o Berlusconi e a seriedade (ou falta dela) com que ele leva o cargo que ocupa. Sei lá, as pessoas deveriam cobrar de seus governantes que façam o melhor para a população em geral..
      E vc e a Martha poderiam escrever um blog conjunto sobre a política internacional da França e Itália. Informal, do ponto de vista de vocês, formadas em cursos de humanas e vivendo aí. Seria legal, viu. E seria uma forma de denúncia, pq aqui, mesmo com as pequenas críticas ao Sarkozy e Berlusconi, ainda se tem a eterna mania de achar q nada é melhor que a Europa.

      • Ow blog de politica internacional é uma coisa muito forte!!! Hahaha!!
        E nem me fala dessa gente que acha a Europa super legal.. meu odio pelos paga-pau da França é quase tao grande quando meu odio pela França.
        Outro dia eu ligo a tv e eles tavam passando AO VIVO o discurso de posse da Le Pen (ela se tornou lider do partido da extrema-direita). Completamente desnecessario transmitir o discurso de posse da mulé ao vivo!! Em todos os canais de noticia!!! Entao assim, se um dia desses eu vier contar que quebrei a tv, vcs jah sabem o motivo.

  4. Foi mal, a puta era marroquina, e o trem ta fedendo agora pra valer (como eu acho e espero que esteja sendo divulgado por ai). Estão vindo a público e com provas contundentes dessa vez que o Berlusca faz orgias na casa dele (e pra variar tem sempre uma puta brasileira no meio, ne gente). Ele constuma culpar a máfia e os comunistas pelas acusaçãoes “infundadas”, mas dessa vez não teve jeito, teve que acusar o poder judicíário e os magistrados mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s