Who wants to live forever?

Eu, em conjunto com toda a humanidade, sempre reclamo da falta de tempo. Os dias são cada vez mais corridos, o tempo passa depressa… Já é fim de janeiro!

Ver todos os filmes, ler todos os livros, viajar por todos os lugares, beber todas as cervejas (ou seja qual for sua bebida do momento), conversar com todas as pessoas que você planeja? Impossível. Não há tempo pra isso, ainda mais tendo que trabalhar pra ter dinheiro pra poder fazer essas coisas.

Mas e se você pudesse viver eternamente? Vi essa pergunta hoje e fiquei pensando se seria legal. De acordo com todos os personagens ficcionais que a gente vê por aí (TV, cinema, literatura…), não é legal. O problema clássico é que cada um envelhece sozinho (ou com um grupo muito pequeno de imortais) e vê a maioria das pessoas amadas morrendo e, como já disse antes, já que o que interessa nessa vida são as pessoas, que graça há na vida sem elas?

Suponhamos, então, que a eternidade fosse universal. Nossa, aí há o problema de que tudo o que a gente conhece é e sempre será, quer dizer, há poucas possibilidades de mudança (sim, as pessoas podem mudar, mas eu acredito que elas só mudam até certo momento na vida, depois existem sim pequenas alterações, mas raramente em questões mais profundas ou de real significado). Então o mundo fica parado, praticamente nada de novo pode acontecer. Dispenso, já que acredito firmemente que a vida deve mudar e ter surpresas.

Vamos pensar, por fim, que só as pessoas que amamos muito serão eternas e que o resto continua mudando, assim criando alterações no mundo. Ih, muitos problemas com isso, nem sei por onde começar. No final das contas, imagino uma coisa tipo vampiros, que se cansam daquela comunidade fechada, viram inimigos mortais (oi, eu vi muito True Blood nessa vida) e acabam precisando da sociedade “comum” ao redor, eventualmente se apegando a alguém mortal e caindo no sofrimento do primeiro caso.

Lembrei, pensando sobre este tema, de uma frase do Jorge Luis Borges que anotei num caderninho (o caderno da vida, acho que depois vou comentar sobre isso – enquete: vocês querem? Hahaha!) há uns anos atrás: “Ser imortal é insignificante; com exceção do homem, todas as criaturas o são, pois ignoram a morte; o divino, o terrível, o incompreensível é saber-se imortal.” (Em O Aleph.)

*Ao som de Queen – Who Wants To Live Forever

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Who wants to live forever?

  1. eu quero saber sobre o seu caderninho da vida! Acho uma coisa super útil, já que eu escrevo coisas interessantes no primeiro pedaço de papel que eu vejo, o que significa que ao longo da vida já perdi milhares de pensamentos e frases úteis para a vida.

    e eu acho mesmo que ser imortal deve ser legal mesmo só pra vampiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s