All I want for Christmas

E um feliz Natal pra você!

Outro dia estava numa dessas confraternizações de fim de ano e sempre tem aquele momento em que um pega o microfone pra passar aquela mensagem que supostamente vai fazer você refletir bastante e mudar sua maneira de pensar pra sempre – ou pelo menos vai te levar a pensar a mudar a maneira de pensar. Quando a situação em questão é num entorno religioso, então a pretensão de uma mensagem profunda é ainda maior.

Nesta semana o que escutei foi uma idéia sobre o presente, o Natal e, claro, sobre o presente de Natal. A pessoa listou três motivos pelos quais gostamos de ganhar presente: 1) nos faz feliz (bem, achei isso um tanto quanto genérico, né), 2) nos satisfaz uma necessidade e 3) nos sentimos amados. Para todos os motivos, no entanto, o cara colocava uma razão do porque aquilo não era duradouro: a felicidade passa, a necessidade passa, se a pessoa não nos dá todo Natal um presente igual ou melhor, quer dizer que ela deixou de nos querer. Claro, ele terminou falando que o grande presente de Natal que temos que comemorar todos os anos é o presente de deus, que nos deu seu filho e tal.

Eu discordei de tudo e fiquei pensando porque eu gosto de presentes. Ganhar presente é legal mesmo por às vezes ser algo que queríamos muito e não tínhamos como comprar/conseguir, ou por ser uma coisa legal na qual nunca tínhamos pensado… Mas eu gosto de ganhar presentes não por causa do presente em si, mas por causa da pessoa. Eu fico pensando que aquela pessoa saiu do seu caminho pra ir me fazer um agrado, ou que ela viu algo na prateleira e se lembrou de mim, que ela estava disposta a me dar um pouco do tempo dela, lembrando de mim. E isso eu acho legal. Muito legal. E se no ano que vem não tiver mais presente daquela pessoa, não tem problema. As pessoas não têm que ficar grudadas para sempre umas às outras e o fato de que hoje uma amizade não existe mais ou existe em menor intensidade não quer dizer que o que aconteceu antes é menos válido.

E por fim eu pensei que sim, gosto de ganhar presentes, mas eu também acho legal (e talvez mais legal ainda) dar um presente. E talvez eu não seja a melhor pessoa do mundo para escolher algo para outra ou para escrever cartões, mas eu gosto de preparar e gosto de saber que acertei e que se não dei um super presente, pelo menos fiz uma alegriazinha pra outra. Porque presentes são para aqueles que a gente gosta e eu gosto de ver as pessoas queridas alegres.

Enfim, talvez soe brega, mas é o que eu acho sobre presentes.

*Ao som de Onda Vaga – Ir al Baile

P.S.: A saga final da maratona de filmes de Natal ainda sairá, I promise.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “All I want for Christmas

  1. Essas pessoas teorizando sobre natal, e tentando de todo jeito jogar zezus no meio, sao um saco.
    Eu, por exemplo, adoro ganhar coisa usada. O pai do meu namorado me deu (sem saber que eu curto isso) um livro que que era dele, e isso me tocou profundamente. Ainda mais livros, que sao tao pessoais…e no caso dele, eu sei qeu foi como me dar um “pequeno tesouro” da biblioteca dele. O valor da “coisa em si” é infimo, mas o gesto foi tao bonito!

  2. O tal livro se chama “Le rapport de Brodeck”, do Philippe Claudel. Nao sei se tem em pt! Ganhei outros livros tb, mas vou contar num post (pra vc nao ter que ler duas vezes, além do fato de vc ser uma das poucas leituras do blog que se “manifestam” haha.. se eu contar aqui vou perder a motivaçao de contar por là 🙂 )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s