Picture yourself in a boat on a river

Desde pequena eu curtia umas histórias. Todas as noites minha mãe me contava o que na época a gente chamava de estória, mas o repertório dela era de certa maneira limitado e com o tempo eu decorava até a maneira como ela falava. Assim, aquelas coleções de livros infantis, muito vendidas em escolas, acabou crescendo. Eu tinha uma da Disney, composta de quatro livros, cada um para uma estação do ano e contendo uma história por dia. Nós passamos por todas elas em uns dois meses.

Houve também a época em que meu pai me levava pra escola, quando eu tinha seis anos. No longo caminho de ônibus de Contagem até a Savassi, era obrigatória uma história por dia, e assim foi durante um ano letivo completo. Foi nesse tempo que conheci Romeu e JulietaO Conde de Monte CristoOs Três MosqueteirosO Homem da Máscara de Ferro… E até A Incrível e Triste História de Cândida Erêndira e Sua Avó Desalmada, numa versão bem modificada para ser classificação livre (no original do Gabriel García Márquez, que fui ler anos depois, a Cândida Erêndira era prostituída pela própria avó. Na minha versão a vó queimava a Cândida. Bom, apropriada para os seis anos?).

***

A minha primeira carteirinha da Biblioteca Estadual Luis de Bessa data de 1992. Eu tinha começado a aprender a ler aos quatro anos e ia com freqüência à biblioteca pública com meu pai, que deve ter devorado uma boa parte daquele acervo. No começo eu me lembro de pegar A Bonequinha Preta um sem número de vezes. Talvez porque eu mesma tivesse uma boneca negra chamada Pretinha, que eu carregava pra todos os cantos.

Desde então os livros foram muito amigos, e eu me lembro de alguns que nem sei mais onde estão, como adaptações de Aladdin e a Lâmpada Maravilhosa, numa adaptação não muito apreciada por mim, me lembro, do Carlos Heitor Cony. Eu curtia muito era Júlio Verne e Alexandre Dumas. Fiquei amiga da bibliotecária da sessão infanto-juvenil da biblioteca e a gente ficava conversando que imaginava o Tom Cruise (na época ele era galã) no papel do Miguel Strogoff.

***

Com o passar do tempo, a gente passa a sentir falta do mesmo. E de repente eu vi que eu tinha parado de ler. Consideravelmente.

Resolvi então retomar. A meta por enquanto é de 20 livros até o final do ano. É nóis que lê.

*Ao som de The Beatles – Lucy in the Sky with Diamonds

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s